quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Minha série favorita: Skins UK


Bom, eu acho que quase comecei a sumir de novo, não é? Pois não vou. Fazem três dias desde a última vez que postei, e se eu não postasse logo, não postaria tão cedo. O problema é que eu tinha ideias para os posts do dia seguinte, porém esqueci as ideias e não sabia mais o que postar. Fiquei adiando até que a criatividade chegasse, mas não chegou. Então, decidi falar sobre a minha série favorita: Skins UK. 
"Mas você decidiu isso do nada?" Não. "O que aconteceu?" Bom. Skins é formada por 7 temporadas não muito longas (que eu acabei super rápido), e a série começou em 2007 e terminou ano passado. Quando eu comecei a assistir já tinha acabado, ou seja, parecia que o mundo acabou junto com Skins. Fiquei durante dias pensando: "NÃO! Skins tem que voltar.", mas com o tempo comecei a superar (um pouco) isso. Até que num belo dia desta semana, resolvi conversar sobre Skins com minhas amigas que também assistiam, e adivinha só: a negação voltou. Há boatos de que talvez volte, mas nunca se sabe, então, para matar a saudade, além de rever a série inteira, vou fazer um post sobre tal série que eu amo tanto. "Mas você já não falou sobre ela naquele post sobre séries que você assiste?" Bom, sim, mas o meu amor por essa série não cabe só em um ou dois parágrafos, este é um dos porquês deste post. E se eu me animar muito e acabar liberando spoilers, mil perdões! Sabem como é né...
AVISO: Se você não está acostumado a ver cenas um pouco pornográficas, como mulheres peladas e coisas desse tipo, é melhor se acostumar, ou não assistir. 


Primeira geração: uma das mais amadas, depois da segunda. "O que é geração? É tipo, temporada?" Não. É mais ou menos assim: Skins é como se fosse um retrato e uma crítica da adolescência, e todos os personagens começam com 16 anos. Como são duas temporadas por geração, e no final da segunda de cada geração eles estão deixando os 17, também estão deixando a adolescência, então a geração é renovada. Ao todos, são três. A sétima temporada é formada pelas histórias de três dos personagens de Skins enfrentando a vida adulta, cada história é contada em dois episódios.  
Acho que a primeira geração é tão amada porque foi a primeira com qual nos acostumamos. Apesar da primeira geração talvez passar uma impressão um pouco errada da série, de que ela é só sexo e drogas, só porque eles vão a algumas festas durante as temporadas e se "divertem um pouco", também retrata muito bem a adolescência e como ela também pode ser uma merda. 
Como o leitor Alysson Rocha disse: "o primeiro episódio não prende muito". Bom, eu, quando vi o primeiro episódio, também pensei isso, pois Skins não começa com um desenvolvimento, e sim com um dia (mais ou menos) comum para os personagens. 
Ah, os personagens... Eu sou apaixonada por todos eles, não sei como ter um favorito. Tony e o seu jeito "sou demais", Michelle e sua sensibilidade não tão demonstrada nos primeiros episódios, Cassie e o seu jeito "amável", Sidiota (apelido carinhoso) e seu jeito largado... Todos eles tem seu próprio jeitinho que me conquistou, e devo dizer que na segunda geração, eu chorei todas as vezes que ocorreram referências a primeira. 


Segunda geração: a que eu, particularmente, menos gosto, mas que a maioria ama. "Por que você desgosta, já que gostam tanto?" Bom, uma das coisas que eu mais gosto em Skins é que não foca em um personagem só, foca em vários, mas, na segunda geração, acho que focaram muito no romance Cook-Effy-Freddie, sabe? Os outros personagens são ótimos, amáveis e tinham muito para explorar, mas ficou nessa coisa chata de triângulo amoroso. Não é que eu não goste da segunda geração, mas não me agrada muito. Sinto saudades de vários personagens da geração, mas não da geração, em si, além de ter sido muita bobeira e pouco drama. 
Todos amam essa geração por causa da Effy (irmã do Tony, da primeira geração), a típica garota misteriosa, que se faz de forte, que adora sexo casual, digamos assim, e com problemas internos, Talvez seja sua frase, "Nobody breaks my heart" que tenha conquistado todos, porém, esse jeito dela só causou problemas. Outra coisa que não gosto muito na segunda geração foi o final, completamente indefinido. Na primeira, não foi 100% definido, mas se teve mais ou menos uma ideia do que pode ter acontecido. Mas o que eu realmente amo nessa geração é o casal Naomily (Naomi + Emily).


Terceira geração, sem dúvidas é a minha favorita. A mais próxima da realidade, também. Algumas pessoas não gostam pois começa um pouco parada, mas é apenas mais desenvolvida, e o final é completamente lindo, e completamente definido. É como se tivesse mais realidade, mais crítica, e menos, vocês sabem, sexo e drogas. Além de ter personagens incríveis, menos a Liv. Odeio a Liv. Mas os meus favoritos são a Mini, o Alo, o Rich e a Grace. Rich e Grace são o casal mais fofo de toda Skins, na minha opinião, mesmo o final deles sendo extremamente triste. Bom, não sei muito o que dizer desta geração, acho que por ter grande afeto por tal, e também não sei se me expressei bem neste post, mas espero que sim.

Bom, espero que tenham gostado, espero que comecem Skins UK e até o próximo post! Beijos ;* 





Nenhum comentário:

Postar um comentário